PUBLICIDADE

Topo

Histórico

A falta de consciência a respeito da alma nos levou a "coisificar" a vida

Sri Prem Baba

25/05/2018 04h00

Crédito: iStock

A inconsciência a respeito da alma e de seu propósito tem feito com que vivamos mecanicamente, criando sistemas falhos para regular a vida em sociedade. Estando desconectados do fato de que existe um princípio espiritual que é soberano, uma essência que nos move, passamos a ser guiados pelos impulsos do corpo. O sentido da vida passa a ser satisfazer suas necessidades levando em consideração apenas as leis materiais.

Na medida em que não somos capazes de perceber a alma que nos habita, também não podemos reconhecer a alma que habita o outro. Enxergamos apenas a matéria e assim, "coisificamos" a natureza, a vida. Quando não somos capazes de perceber a alma de um rio ou deu uma árvore, nós os transformamos em objetos que podem ser comercializados. Se desconhecemos as leis espirituais que regem a vida nesse plano, só podemos enxergar as leis materiais que basicamente determinam que precisamos sobreviver e, para sobreviver, aquele que se considera superior engolirá o inferior.

Essa distorção faz com que passemos toda a nossa vida buscando pelo poder – que se traduz, basicamente, em sexo e dinheiro, e na falta deles, comida – sem nenhuma conexão com nossa alma ou seu propósito real. Esse jogo acaba trazendo sofrimento e frustração, já que a sobrevivência não é o suficiente para o sistema complexo que é o ser humano.

Essa é uma das razões pela qual a depressão é considerada a doença do século XX e início do século XXI. A frustração de não ter consciência e por sua vez, não realizar o propósito da alma vai, aos poucos, se transformando em uma angústia contínua, um sentimento de desencaixe e falta de sentido para a vida.

Em algum momento precisamos encontrar um ponto de equilíbrio para que a jornada seja autossustentável. É verdade que você precisa ter suas necessidades atendidas e não há nada de errado em namorar ou ganhar dinheiro. A questão é que se essas forem as únicas motivações da sua vida a conta não fechará. Se você se mover apenas para satisfazer suas necessidades, inevitavelmente vai sentir a angústia da falta de sentido.

O mais curioso é que ao se harmonizar com o propósito da sua alma, naturalmente suas necessidades serão atendidas. Essa é uma lei desse plano. Se você se alinha internamente, inevitavelmente, isso se manifestará também externamente. Se você, internamente, entrou no mundo de Deus – onde não existe falta ou escassez – tudo aquilo de que você precisa chegará na hora certa.

Mas esse é o jogo que a alma precisa jogar nesse plano: se esquecer para se lembrar. A finalidade é encontrar a unidade dentro da diversidade. Atravessar os desafios necessários para voltar ao ponto de partida levando consigo toda a experiência adquirida.

Que possamos estar sempre abertos para receber com amor o que a vida tem para nos dar. Que possamos ter tranquilidade para jogar esse jogo.

Sobre o autor

Nascido em São Paulo, Sri Prem Baba estudou psicologia e ioga. É discípulo do mestre indiano Sri Sachcha Baba Maharaji Ji, da linhagem Sachcha, e idealizador do movimento global Awaken Love. Seu trabalho une conhecimentos para fortalecer valores humanos, espirituais e sociais. Hoje, existem centros representativos de sua missão na Índia, Estados Unidos, Europa, Israel, Argentina e Brasil. É autor dos livros “Amar e Ser Livre - As Bases Para uma Nova Sociedade”, “Transformando o Sofrimento em Alegria” e do best-seller “Propósito – A Coragem de Ser Quem Somos”.

Sobre o Blog

Ensinamentos para o bem-viver com foco em autoconhecimento e desenvolvimento pessoal. Conteúdos profundos abordados de forma prática sobre relacionamentos, propósito de vida, prosperidade, sustentabilidade, educação, crise planetária e espiritualidade, entre outros.

Blog do Prem Baba